segunda-feira, 26 de abril de 2010

A Importância da Audição


A IMPORTÂNCIA DA AUDIÇÃO
a audição representa um sentido fundamental para o desenvolvimento da criança. Através da audição, a criança aprende em primeiro lugar a reconhecer vozes, imitar sons e desenvolver uma linguagem. em seguida, a audição também representa uma ferramenta, por exemplo para a orientação, percepção de sinais de alarme, comunicação e convívio social. Por isso, a audição não se limita a ser um órgão sensorial, mas contribui para a formação da mentalidade da criança, da sua personagem e comportamento.

Muitas vezes, a perda auditiva de uma criança representa um problema maior para os pais do que para a própria criança, sendo da maior importância que os pais estejam abertos e sejam positivos e se inteirem do que podem fazer para criar as melhores condições para a criança.

Porque é importante detectar cedo uma perda auditiva?
Quanto mais cedo a perda auditiva de uma criança for detectada, tanto maiores serão as suas possibilidades de ter um desenvolvimento normal À nascença, a audição está inteiramente desenvolvida, e hoje em dia já é possível constatar nos recém-nascidos se haverá problemas auditivos. Se, por exemplo, perdas auditivas na família, é recomendável testar a audição da criança tão cedo quanto possível.

As investigações indicam que se as crianças que sofrem de uma deficiência auditiva receberem um aparelho auditivo antes dos 6 meses, poderão desenvolver uma linguagem em pé de igualdade com as crianças com audição normal.

Datas históricas no desenvolvimento da audição normal

Antes do nascimento
O feto humano já possui uma espécie de audição depois da 20ª semana de gestação. Esta audição desenvolver-se-á e amadurecerá durante o restante período de gestação. O feto é capaz de ouvir sons fora do corpo da mãe, mas ouve melhor os de baixa frequência do que os de alta frequência.

0 a 4 meses
A criança assusta-se ao ouvir sons altos repentinos. Começa a localizar sons com os olhos ou virando a cabeça.

3 a 6 meses
A criança interessa-se por diversos sons e procura ela própria pronunciá-los. Aparentemente, reconhece vozes conhecidas.

6 a 12 meses
Tagarela. A criança começa a compreender palavras simples tais como "mamã" ou "olá". Também começa a compreender mensagens simples.

12 a 18 meses
A criança começa a formar palavras em vez de tagarelar. Consegue agora utilizar cerca de 20 palavras e compreender cerca de 50.

2 anos
Habitualmente, a criança consegue pronunciar frases simples e dispões de um vocabulário de cerca de 200 a 300 palavras. Gosta de ouvir histórias lidas em voz alta e sabe identificar muitos objectos em livros ilustrados.

3 a 4 anos
A criança emprega palavras e frases para exprimir necessidades, perguntas e sentimentos. O vocabulários, a pronúncia e a compreensão melhoram muito durante estes anos.

OS RUÍDOS PREJUDICAM A AUDIÇÃO

Aparentemente, as crianças passam demasiado tempo em ambientes ruidosos (por exemplo, em jardins infantis, nas aulas e nos espaços de jogos). Contrariamente ao que acontece com os adultos, não são as crianças que escolhem estes ambientes.
Antes de tudo, as crianças não devem ser expostas a ruídos desnecessários por tempo prolongado. Por isso, é importante que os pais e pedagogos trabalhem juntos para criar os ambientes sonoros mais adequados. Não esquecer que o uso exagerado dos leitores de música com auriculares é prejudicial à audição.

Extractos da brochura nº7 de uma série de publicações da WIDEX.



video

Sem comentários:

Enviar um comentário